Categories

Key report translationsPortuguês 🇵🇹🇧🇷

Censo de Violência Explosiva em 2013

2013

Em 2013, o número de baixas civis resultantes das armas explosivas aumentou 15% em comparação com 2012.

  • 37,809 pessoas foram matadas ou feridas por armas explosivas durante 2013 em 2,430 incidentes. Em 2012 AOAV registrou 34,758 baixas totais resultantes de 2,742 incidentes.
  • Pessoas civis representam 82% das baixas totais (31,076 mortos ou feridos). A proporção atual de civis aumentou de 78% em 2012.
  • 2013 é o segundo ano consecutivo no qual o número de baixas civis cresceu.

Quando se usaram armas explosivas nas áreas povoadas 93% das baixas eram pessoas civis. Em outras zonas essa figura diminuiu até 36%.

As maiores números de baixas civis ocorreram em Iraque, na Síria, em Paquistão, em Afeganistão y em Líbano em 2013.

  • Em Iraque o número de baixas civis cresceu 91% em 2013 comparado com 2012 (subiu de 6,710 para 12,799).
  • Em relação à cobertura da mídia das baixas civis resultantes da violência explosiva, supostamente Iraque foi o país mais afectado em 2013. De todas as baixas civis resultantes da violência explosiva se registrou mais de um terceiro em Iraque.
  • Se cadastraram incidentes em 58 países e territórios diferentes pelo mundo inteiro.

Áreas Povoadas

  • A média, cada vez que se usaram armas explosivas em áreas povoadas 18 pessoas civis morreram ou foram feridas. Em outras áreas a figura era só três.
  • Se nota que as feiras eram os sítios onde sucederam os números mais elevados de baixas civis (3,608). Aconteceram ataques nas feiras e mercados de 15 países e territórios.
  • Se documentaram baixas infantiles em 34 distintos países e territorios.

Tipas de Armas Explosivas

Armas explosivas lançadas do ar

  • Armas explosivas lançadas do ar foram responsáveis por 6% das baixas civis resultantes da violência explosiva registradas em 2013 (2,012 pessoas civis mortas ou feridas).
  • Era mais improvável que se usassem esse tipo de arma nas áreas povoadas comparado com armas lançadas da terra ou IEDs. Dos ataques aéreos 45% ocorreram nas áreas povoadas.
  • Quando se usaram armas lançadas do ar nas áreas povoadas, 85% das baixas eram civis.
  • Um terceiro dos ataques aéreos e 85% das baixas civis resultantes das armas lançadas do ar aconteceram na Síria.
  • AOAV documentou a média de 30 baixas civis por cada ataque de bomba de barril na Síria.

Armas explosivas lançadas da terra

  • Armas explosivas lançadas da terra foram responsáveis por 16% das baixas civis resultantes da violência explosiva registradas em 2013 (5,030 pessoas civis mortas ou feridas).
  • 89% das baixas eram civis, mais do que armas lançadas do ar ou IEDs.
  • Dos incidentes que envolveram granadas de morteiro 85% foram documentados em áreas povoadas, mais do que qualquer outro tipo de arma.
  • Houve média de 49 baixas civis por cada ataque de mísseis balísticos na Síria, o mais alto por qualquer tipo de arma.

IEDs (Artefatos Explosivos Improvisados)

  • IEDs foram responsáveis por 73% das baixas civis resultantes da violência explosiva registradas em 2013 (22,829 pessoas civis mortas ou feridas).
  • Em 2013 o número de baixas civis resultantes dos IEDs cresceu 35%.
  • Houve triplo o número de baixas civis resultantes dos IEDs em Iraque como no segundo país mais afetado, Paquistão.
  • Em Iraque, ataques de IED com número elevado de vítimas (incidentes quando havia 25 ou mais baixas civis) quase dobro em 2013 (subiu de 82 em 2012 para 150).
  • Pelo mundo, AOAV documentou um aumento de 17% nas baixas civis resultantes de ataque suicida em 2013 (o número civis mortas e feridas subiu de 5,398 por 6,333).