Categories

Explosive Violence Monitor report translationsPortuguês 🇵🇹🇧🇷

Censo de Violência Explosiva em 2017

Ação contra a Violência Armada (AOAV) divulga os resultados de sua análise de dano pelas a armas explosivas durante 2017. No ano passado, a AOAV registrou 42.972 mortes e ferimentos decorrentes do uso de armas explosivas mundial, conforme as reportagens na mídia de língua inglesa.

Essa cifra representa o maior número de mortes de civis desde que começamos nosso registro em 2011 – cerca de 16.289 – um aumento de 38% em relação ao ano anterior e um aumento de 165% em relação a 2011.

Foi também um ano em que o Reino Unido apareceu nos dez países mais afetados pela violência explosiva no mundo inteiro.

Como nos anos anteriores, os civis continuaram a carregar o peso dessa violência explosiva. Dos que foram mortos ou feridos, 74% foram considerados civis – 31.904.

Neste relatório, O Peso do Dano: Monitorando a violência explosiva em 2017, a AOAV também estabeleceu que 92% das pessoas reportadas como prejudicadas por armas explosivas em áreas povoadas eram civis.

Uma grande parte desse dano foi causado por ataques aéreos, com 45% de todos os civis prejudicados por esses sistemas de armas.

O numero de civis mortos ou feridos por ataques aéreos foi quase 50% maior em 2017 do que em 2016 – um número que deve gerar uma pausa para reflexão, dado ao aumento de retórica em torno do uso do poder aéreo na Síria.

O relatório completo está disponível para descarregar aqui: O Peso do Dano: Monitorando a violência explosiva em 2017.

RESULTADOS PRINCIPAIS

  • AOAV registrou 42.972 mortes e ferimentos resultantes das armas explosivas em 3.825 incidentes durante 2017. Destes, 31.904 eram civis – 74%.
  • Quando armas explosivas foram usadas em áreas povoadas, 92% das pessoas mortas e feridas eram civis. Isso se compara a 20% em outras áreas.
  • Os mortes e ferimentos de civis em áreas povoadas representaram 93% do total reportado de mortes e ferimentos dos civis.
  • AOAV registrou o maior número de mortes de civis desde que iniciou o registro em 2011 – um aumento de 38% em relação ao ano anterior, e um aumento de 165% em relação a 2011.
  • Houve um aumento de 44% nos civis prejudicados ​​pelos atentados aéreos em comparação com 2016 – com 14.342 civis mortos e feridos mundialmente, representando 45% de todas as mortes e ferimentos de civis.
  • Síria, Iraque, Afeganistão, Paquistão e Iêmen registraram o maior número de mortes e feridos de civis em 2017.
  • Seis países e territórios tiveram mais de 1.000 mortes e feridos de civis em 2017.
  • A Síria observou mais de 15.000 mortes e ferimentos – dos quais 85% eram civis.
  • Alguns dos países mais afetados tiveram um aumento significativo de mortes e ferimentos de civis como resultado de armas explosivas em comparação com o ano anterior: Paquistão (51%); Somália (92%); Egito (305%).
  • Incidentes foram registrados em 59 países e territórios pelo mundo inteiro.
  • Pela primeira vez desde o início da coleta de dados, o Reino Unido apareceu nos dez países mais prejudicados pela violência explosiva.